história e atuação

O futuro acelera
em duas rodas

A história da Abraciclo e como ela representa
as fabricantes de motocicletas e bicicletas no Brasil

Desde sua criação, em 2 de abril de 1976, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo vem mostrando a importância, eficiência e necessidade da circulação adequada e segura dos veículos de duas rodas nas cidades e estradas do País.

Foi o ano da fundação da entidade

Quando a entidade surgiu, sob o comando de Bruno Antonio Caloi, o veículo de duas rodas predominante no Brasil era a bicicleta, enquanto a produção de motocicletas e ciclomotores se mostrava ainda incipiente. Na ocasião, os fundadores da Abraciclo acreditavam que deveriam se unir para atuar em conjunto pela evolução do segmento que, segundo eles, estaria representado predominantemente pelos ciclomotores. Todavia, a consolidação do Setor de Duas Rodas no Polo Industrial de Manaus (PIM) mostrou que o caminho da evolução seria bem diferente.
As fabricantes de veículos de duas

 

rodas que se instalaram no PIM precisavam construir uma ampla cadeia produtiva e fizeram isso partindo praticamente do marco zero. Os modelos tecnologicamente revolucionários e atraentes começavam a deixar as modernas linhas de montagem das indústrias recém-implantadas, enquanto a sociedade ainda olhava com certa cautela e desconfiança para estes veículos diferenciados, que, no entanto, já estabeleciam o conceito de mais inovadora opção de mobilidade e transporte para os brasileiros sintonizados com o futuro. Essa evolução foi constante nas décadas de 1980 e 1990, com o PIM recebendo fábricas das mais expressivas marcas globais de motocicletas.

Nas décadas iniciais do Século XXI, os motociclos – motocicletas, motonetas, ciclomotores e similares – estão presentes em todas as regiões, cidades e comunidades rurais brasileiras, com utilização em atividades de locomoção, geração de renda e lazer. Para muitos brasileiros, representam a posse e o uso do primeiro veículo motorizado, confirmando sua função de autêntica ferramenta de inclusão social. Tornaram-se essenciais para os serviços públicos por serem flexíveis na circulação, proporcionando atendimento ágil e eficiente às necessidades da população. E você já parou para pensar como seria seu dia a dia sem o motofretista – o famoso motoboy – entregando encomendas, documentos, correspondências, medicamentos ou mesmo uma quentinha e saborosa pizza no início da noite?

A bicicleta, por sua vez, evoluiu muito a partir do ano 2000, a ponto de se transformar em símbolo da mobilidade sustentável, em função de suas inovações, maior valor agregado proporcionado pelos materiais nobres em sua estrutura, além de equipamentos e acessórios atrativos, e pela praticidade e flexibilidade de circulação diante do caótico trânsito urbano. Repare que se trata de um produto único ao reunir, simultaneamente, três atributos imbatíveis: é barata, tanto na compra como na manutenção, não polui o ambiente e faz bem à saúde do condutor.

A função da Abraciclo é justamente mostrar como o Setor de Duas Rodas, com suas fabricantes de motocicletas e bicicletas, entre outros produtos, atua para melhorar a mobilidade e o transporte nas cidades e estradas brasileiras, buscando a inovação tecnológica, qualidade, respeito às normas de segurança e de controle da emissão de gases e a flexibilidade, economia e eficiência nos deslocamentos diários. Para atuar com eficiência e precisão, a Abraciclo conta com uma Diretoria com mandato bienal, eleita pelo quadro associativo, e uma equipe integrada por executivos com sólida formação acadêmica e experiência no setor automotivo, capazes de propor criativamente soluções técnicas, políticas, de relacionamento e comunicação alinhadas com os mais avançados objetivos do Setor de Duas Rodas.

Comissões e grupos de trabalho

Estrutura da entidade

R

Diretoria Executiva

R

Gerência de Relacionamento

R

Gerência Administrativa e Financeira

Existem ainda áreas de apoio a estas funções.

Grupos fixos de trabalho

R

Comissão Técnica

R

Comissão Jurídica

R

Comissão Comunicação

Todas elas reunem representantes das associadas.

A estrutura da entidade é composta por uma Diretoria Executiva, Gerência de Relacionamento, Gerência Administrativa e Financeira e áreas de apoio a estas funções. Entre as comissões fixas de trabalho estão a Técnica, Jurídica, de Assuntos Tributários e de Comunicação, todas reunindo representantes das associadas. Com frequência são formados grupos temporários de trabalho para análise, debate e definição de recomendações sobre temas de importância ou urgentes.

Desde 2013, a entidade também possui uma consultoria de Segurança no Trânsito e um grupo de trabalho para tratar especificamente de Ações de Segurança. Em 2014, instalou sua assessoria jurídica e tributária, além de uma filial em Brasília/DF para acompanhar e participar, diretamente, dos assuntos envolvendo motocicletas e bicicletas em tramitação no Congresso Nacional e em todos os órgãos governamentais. Em 2017, a entidade passou a contar com outra filial, desta vez em Manaus/AM, onde reúne as associadas no chamado Grupo Técnico Manaus, para discutir temas de interesse imediato, como, por exemplo, a necessidade de atualização do Processo Produtivo Básico (PPB), que é o conjunto de processos e metas que regula as operações das fábricas instaladas no PIM.

Propostas para a melhor circulação dos veículos

As propostas de trabalho da Abraciclo caminham em sintonia com as necessidades e responsabilidades do setor, sempre focadas na preservação das condições adequadas da utilização dos veículos de duas rodas. Entre elas se destacam a melhoria das condições viárias, necessidade de implementação de Educação de Trânsito no currículo das escolas brasileiras, incremento da qualidade na capacitação de instrutores de pilotagem, conscientização da importância da manutenção das motocicletas e bicicletas, cuidados com os equipamentos de proteção e conscientização e orientação sobre a pilotagem segura.

A Abraciclo trabalha constantemente na consolidação do avanço industrial do setor. Isso fica evidente quando as equipes e a diretoria da entidade desenvolvem trabalhos voltados às definições da política industrial, debates e propostas em torno do PPB, discussões e entendimentos mantidos com outras entidades e órgãos governamentais, acompanhamento e participação democrática – com análises técnicas e propostas – durante a tramitação de projetos de lei do Congresso Nacional, relacionamento transparente com a Imprensa e a opinião pública e demais pautas envolvendo o Setor de Duas Rodas. O fortalecimento de toda a cadeia produtiva, o fomento constante do parque de moto-peças e a melhoria da logística são, da mesma forma, partes integrantes da agenda de atividades da entidade.

GESTÕES E

PRESIDENTES

1976

Fundação da entidade

1976/
1982

Bruno Antonio Caloi

1982/
1985

Sylvio Marzagão

1986/
1999

Masuo Murakami

1999/
2003

Roberto Iquejiri

2003/
2004

Yuji Horie

2004/
2010

Paulo Shuiti Takeuchi

2010/
2011

Jaime Teruo Matsu

2011/
2012

Roberto Y. Akiyama

2012/
Atual

Marcos Z. Fermanian

Esta história de evolução está apenas começando. E tem muito a acelerar

PortuguêsEnglishEspañol