Segunda onda do coronavírus em Manaus impõe restrições ao funcionamento das fábricas e freia produção neste início do ano

A indústria de motocicletas produziu 53.631 unidades em janeiro. De acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo, o volume é 27% menor ao registrado em dezembro (73.471 motocicletas) e 46,5% inferior na comparação com o mesmo mês do ano passado (100.292 unidades).
O presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, afirma que a queda já era esperada, pois a cadeia produtiva foi fortemente impactada pela segunda onda do coronavírus na cidade de Manaus, que levou o governo estadual a impor restrições à circulação de pessoas e instituir o toque de recolher. “Essas medidas levaram muitas fabricantes a reduzir suas jornadas e trabalhar em um único turno. Além disso, tivemos paralisações temporárias em algumas empresas devido à falta de insumos”, explica.
De acordo com Fermanian, o cenário adverso neste início do ano não deve alterar a estimativa da entidade de produzir 1.060.000 motocicletas em 2021. “O impacto de janeiro já estava nos nossos radares. A maior dificuldade para todos os setores da economia é saber como ficará a situação da pandemia nos próximos meses”, afirma. “É preciso que a imunização em massa ocorra o mais rápido possível para que a indústria volte a operar com fôlego, recupere as perdas dos últimos meses e consiga, finalmente, equilibrar a relação de oferta e demanda”, destaca.
O presidente da Abraciclo explica que ainda não será possível atender à demanda e acabar com a fila de espera por motocicletas. Atualmente existem cerca de 150 mil pessoas, principalmente aquelas que adquiriram o veículo por meio de consórcio, aguardando sua motocicleta. “Esperávamos atender uma parte delas agora. No entanto, as novas restrições impostas pelo aumento de casos da Covid-19 impediram que as fabricantes mantivessem o mesmo ritmo de produção dos últimos meses de 2020”, explica.

Vendas no varejo
Em janeiro foram emplacadas 85.798 motocicletas, o que corresponde a uma queda de 13,1% na comparação com as 98.775 unidades licenciadas em dezembro. Em relação ao mesmo mês de 2020, houve recuo de 6,4% (91.664 unidades).
A Street foi a categoria mais emplacada com 41.738 unidades licenciadas e 48,6% do mercado. Na sequência, vieram a Trail (16.567 unidades e 19,3% de participação) e a Motoneta (12.545 unidades e 14,6%). Confira o ranking:

EMPLACAMENTOS MENSAL DE MOTOCICLETAS
  Janeiro/20 Dezembro/20 Janeiro/21 Variação
  A Participação B Participação C Participação C/A C/B
Categoria 91.664 100% 98.775 100% 85.798 100% -6,4% -13,1%
Street 44.520 48,6% 49.090 49,7% 41.738 48,6% -6,2% -15,0%
Trail 19.680 21,5% 19.898 20,1% 16.567 19,3% -15,8% -16,7%
Motoneta 13.253 14,5% 15.903 16,1% 12.545 14,6% -5,3% -21,1%
Scooter 8.858 9,7% 8.282 8,4% 9.442 11,0% 6,6% 14,0%
Naked 1.818 2,0% 2.395 2,4% 2.246 2,6% 23,5% -6,2%
Bigtrail 1.248 1,4% 1.389 1,4% 1.380 1,6% 10,6% -0,6%
Ciclomotor 1.261 1,4% 946 1,0% 1.114 1,3% -11,7% 17,8%
Sport 524 0,6% 644 0,7% 513 0,6% -2,1% -20,3%
Custom 494 0,5% 208 0,2% 242 0,3% -51,0% 16,3%
Touring 8 0,0% 18 0,0% 11 0,0% 37,5% -38,9%
Off-Road 0 0,0% 2 0,0% 0 0,0% 0,0% -100,0%

Fonte: Associadas Abraciclo

Com 20 dias úteis, a média diária de vendas foi de 4.290 unidades – a melhor desde janeiro de 2015, que teve 5.174 motocicletas emplacadas/dia. Em relação a dezembro, com dois dias úteis a mais e média diária de 4.490 unidades, o recuo foi de 4,5%. Na comparação com janeiro do ano passado, que também teve 22 dias úteis, foi registrada alta de 3%. Naquele mês, a média diária de vendas foi de 4.167 motocicletas.

Exportações

            No primeiro mês do ano, foram exportadas 3.904 motocicletas. O volume foi 12,8% menor na comparação com as 4.477 unidades embarcadas em dezembro. Em relação a janeiro de 2020, quando as exportações totalizaram 1.701 unidades, houve alta de 129,5%.

Segundo levantamento do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat, que registra os embarques totais de cada mês, analisados pela Abraciclo, os três principais destinos foram: Argentina (1.704 unidades e 42,2% do volume total exportado), Estados Unidos (1.198 unidades e 29,7% das exportações) e Austrália (579 unidades e 14,3%).

Glossário de Motocicletas:

Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas

Com 45 anos de história e contando com 14 associadas, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – ABRACICLO representa, no País, os interesses dos fabricantes de veículos de duas rodas, além de investir em ações visando a paz no trânsito e a prática da pilotagem segura. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as sete maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram cerca de 12,8 mil empregos diretos em Manaus/AM.

MOTOCICLETAS* BICICLETAS*
Frota nacional: acima de 28 milhões
de unidades
Frota nacional: mais de 70 milhões
de unidades
Produção anual: acima de 961 mil unidades Produção anual: 2,5 milhões

unidades **

7º maior produtor mundial 4º maior produtor mundial

 

(*) Dados do fechamento de 2020.
(**) Estimativa de produção em todo o território nacional, excluídas as bicicletas infantis.

 

 

Para mais informações acesse o site

www.abraciclo.com.br

SD&PRESS Consultoria
(11) 3876-4070; www.sdpress.com.br; @sdpress; facebook.com/sdpress
Analuiza Tamura           analuiza.tamura@sdpress.com.br
Bruna Quintanilha bruna.quintanilha@sdpress.com.br
Priscila Fabi       priscila.fabi@sdpress.com.br
  Fevereiro, 2021
PortuguêsEnglishEspañol