Na edição comemorativa dos 45 anos da associação, Tite Simões conquista o prêmio de Vencedor do Ano

 

 A Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – Abraciclo anunciou nesta quarta-feira (17/11), em cerimônia virtual, os vencedores do Prêmio Abraciclo de Jornalismo 2021. A edição deste ano comemora os 45 anos de atividades da associação que tem sua atuação focada no desenvolvimento e fortalecimento do Setor de Duas Rodas no Brasil, e na promoção de ações que visam um trânsito mais seguro.

“A Abraciclo sempre pautou sua atuação na consolidação do avanço industrial do setor. O Prêmio Abraciclo de Jornalismo, como ferramenta de valorização daqueles que ajudam a fortalecer o Setor de Duas, tem papel fundamental nesta história”, afirma o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. “Estamos muito satisfeitos em poder comemorar uma data tão significativa com mais essa edição do Prêmio”, complementa.

Entre as novidades da edição comemorativa está o prêmio de Vencedor do Ano que consagrou Tite Simões que obteve a maior pontuação entre as quase 250 reportagens inscritas. Com a matéria “Coronavírus: o papel da moto durante a pandemia”, publicada no Portal Carsughi, o jornalista foi contemplado com R$10 mil, além de uma visita a três fábricas de motocicletas e/ou bicicletas das associadas da Abraciclo em Manaus (AM).

“A cada edição, ficamos impressionados com a qualidade das reportagens. Os jurados tiveram muito trabalho para avaliar as matérias e apontar as melhores. A Abraciclo reconhece a importância do trabalho da imprensa para nos ajudar com a nossa missão de sempre conscientizar as pessoas sobre o papel fundamental da segurança viária e da necessidade de promover a paz no trânsito no Brasil”, explica Paulo Takeuchi, diretor executivo da associação.

A comissão julgadora foi formada por jornalistas especializados e acadêmicos: Karina Simões, Jorge Moraes, João Bosco Ferreira, Marcos de Sousa e Roberto Agresti.

 

Os finalistas

Os primeiros colocados em cada uma das quatro categorias (Motocicleta – Impresso & Digital, Motocicleta – Som & Imagem, Bicicleta e Polo Industrial de Manaus/PIM) receberam um troféu e o valor de R$9 mil. Já os jornalistas classificados em segundo lugar, foram contemplados com R$4 mil e os que ficaram na terceira colocação, com R$3 mil. Todos ganharam placas em homenagem aos seus trabalhos.

Na categoria Motocicleta – Impresso & Digital, o vencedor foi Arthur Caldeira com a reportagem “Scooters levam motoristas a deixar o carro na garagem”, publicada no jornal O Estado de S. Paulo. O segundo lugar ficou para Marcos Rozen pela matéria histórica “Duas Honda XL 125 nacionais foram as primeiras motos do mundo a rodar na Antártida, ainda nos anos 80”, veiculada na revista Autoesporte. Rafael Miotto levou o terceiro lugar com a reportagem “Desempregados recorrem a aluguel de motos para fazer entregas na pandemia”, publicada no portal G1.

Em Motocicleta – Som & Imagem, Seku Mello venceu com “Dicas de Segurança no Trânsito para Jovens Pilotos”, exibida no canal Motorede. Em segundo lugar, ficou André Ramos com a matéria “Motocicleta – veículo para os sonhos”, veiculada no canal da revista Moto Adventure. A jornalista Marina Dalcastagne completou a lista dos finalistas com a matéria “A relação entre os motoboys e os aplicativos de entrega” para o Jornal do Almoço, da NSC TV.

O vencedor na categoria Bicicleta foi Rogério Viduedo, autor da reportagem “Cultura da bicicleta se aprende na escola”, publicada na Agência Envolverde Jornalismo. Em segundo lugar, ficou Renata Falzoni, com a matéria “Com medo da aglomeração, eles trocaram o ônibus pela bicicleta”, exibida no canal Bike é Legal. Já a terceira colocação foi de Bruno Grubertt, com a reportagem “O desafio diário de andar de bicicleta no Recife” feita para o NE 1, da TV Globo Pernambuco.

Na categoria Polo Industrial de Manaus/PIM, o vencedor foi Luciano Abreu, com a reportagem “Saiba como é feita a logística do polo de duas rodas da ZFM”, exibida no Bom dia Amazônia, da Rede Amazônica. Em segundo lugar, ficou Rebeca Mota, que assina junto com André Moreira, a reportagem “PcDs fazem a ‘roda girar’ no Polo Industrial”, publicada no jornal Em Tempo. A terceira posição foi para Gecilene Sales pela matéria “Cicloentregadores criam nicho promissor em Manaus”, veiculada na Rádio Rio Mar.

 

45 anos

Os 45 anos da Abraciclo são marcados pelo protagonismo da motocicleta e da bicicleta, que ganharam papel de destaque na sociedade e na mobilidade atual, representando fonte de renda, e meios de transporte ágeis e econômicos. Essa relevância é fruto do intenso trabalho das fabricantes nacionais associadas à Abraciclo, que investem em tecnologias e inovações para atender as demandas do consumidor.

No cenário mundial, o Brasil se destaca por ser o quarto maior produtor de bicicletas e ocupar o sétimo lugar no ranking mundial de produção de motocicletas. No segmento das bicicletas, a indústria brasileira é reconhecida no mercado por oferecer o mesmo padrão de qualidade das marcas globais. Já no de motocicletas, as montadoras nacionais são referência no desenvolvimento de novas tecnologias, como o sistema bicombustível (flexfuel), e por atenderem às rigorosas normas de emissão de poluentes do Promot (Programa de Controle da Poluição do ar por Motociclos e Veículos Similares) que se equiparam àquelas estabelecidas pelos países mais desenvolvidos.

As 14 associadas da Abraciclo são comprometidas também com o desenvolvimento do Polo Industrial de Manaus (PIM), onde as fábricas estão instaladas. Até maio deste ano, o setor de Duas Rodas faturou aproximadamente R$1,3 bilhão, o que corresponde a 12,1% do total do PIM e gerou cerca de 14 mil postos de trabalho – essa mão de obra se destaca por ser uma das mais qualificadas entre as indústrias da Zona Franca de Manaus. Dessa forma, as fabricantes contribuem para o desenvolvimento sustentável da região Amazônica garantindo, além do sustento de milhares de famílias, a preservação da floresta e da biodiversidade.

Ao longo dessas mais de quatro décadas, a Abraciclo protagonizou ainda diversas ações voltadas para a segurança do trânsito por meio de campanhas de conscientização e orientação da população, dos motociclistas e ciclistas. Entre as iniciativas, estão as palestras gratuitas em escolas públicas de ensino médio sobre pilotagem segura e respeito às normas e regras de trânsito, e o MotoCheck-Up, considerado o maior programa setorial da América Latina para a orientação de motociclistas, que em suas 24 edições, em diferentes cidades brasileiras, já atendeu a mais de 50 mil motociclistas.

Este ano, a associação expandiu suas ações de educação no trânsito com uma parceria com o Detran-SP, quando realizou pitstops educativos para motociclistas e cursos de qualificação para motofretistas.

 

 Sobre a ABRACICLO e o Setor de Duas Rodas

Com 45 anos de história e contando com 14 associadas, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares – ABRACICLO representa os fabricantes de veículos de duas rodas no país, tendo como principal missão o fomento e o desenvolvimento do setor, por meio de ações que visem a mobilidade, a paz no trânsito e a prática da pilotagem segura. A fabricação nacional de motocicletas, quase totalmente concentrada no Polo Industrial de Manaus (PIM), está entre as sete maiores do mundo. No segmento de bicicletas, com as principais fábricas também instaladas no PIM, o Brasil se encontra na quarta posição entre os principais produtores mundiais. No total, as fabricantes do Setor de Duas Rodas geram cerca de 14 mil empregos diretos em Manaus/AM.

 

 

PortuguêsEnglishEspañol