Tel.: +55 11 5181.0222

Dia do Motociclista: associação promove ações educativas no DF

De acordo com os dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), o Brasil conta com frota de 27.551.164 Motocicletas, o correspondente à média de uma Motocicleta para cada oito pessoas. Há 10 anos, essa relação era de uma Motocicleta para cada 14 habitantes. Por essa razão, a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) promove, no Dia do Motociclista (27/7), uma ação para conscientizar estes Motociclistas e os demais condutores de veículos sobre a necessidade de segurança, respeito e paz no trânsito.

“A Motocicleta se consolidou como um importante veículo de locomoção, em função da flexibilidade de uso, baixo consumo de combustível e menor custo de manutenção”, afirma o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian. “Por isso, sempre desenvolvemos ações de conscientização junto aos Motociclistas em defesa de um trânsito mais seguro”, completa.

Apenas em Brasília, a frota de Motocicletas já alcançou 215.514, o equivalente a uma Motocicleta para cada 14 habitantes. A expectativa é que a iniciativa atenda, no DF, cerca de 2 mil pessoas por meio de blitze educativas, que serão realizadas nos dias 26 e 27 de julho (sexta-feira e sábado).
No primeiro dia, a ação acontecerá no semáforo Via N1, ao lado do estádio Mané Garrincha, no Eixo Monumental, das 13 às 18 horas. No dia seguinte, ocorrerá das 8 às 13 horas, em três locais: semáforo Via EPIA – BR, na Via Cruzeiro / Octogonal; semáforo Taguatinga Centro (Praça do Relógio / Av. Central); e no semáforo Ceilândia, também na região central (Cruzamento da Av. Hélio Prates / CNM 6).
Em cada um desses locais, promotoras estenderão faixas de conscientização para os Motociclistas e demais condutores de veículos e entregarão folhetos educativos e brindes, como bonés e chaveiros. Entre as mensagens a serem exibidas, haverá orientações em relação ao respeito aos limites de velocidade, o não uso do celular durante a condução dos veículos e os riscos de pilotar ou dirigir após a ingestão de bebidas alcoólicas.
Cinco inimigos dos Motociclistas
Durante suas ações de segurança promovidas constantemente, a Abraciclo identificou os cinco principais “inimigos do Motociclista” da atualidade. A lista é liderada pelo uso do telefone celular pelo Motorista de automóveis. Nesta situação, o Motociclista está sujeito a sofrer fechadas ou é abalroado por veículos conduzidos por Motoristas desatentos, que falam ou digitam mensagens no aparelho. Mas o Motociclista também se torna infrator, quando, por excesso de confiança, usa o celular enquanto pilota sua Motocicleta.
Em segundo lugar entre os “inimigos do Motociclista” estão o cerol e a linha chilena usados para empinar pipas. Apesar de o uso de linhas cortantes ser considerado crime previsto em lei, a incidência de acidentes e até mesmo óbitos envolvendo Motociclistas é grande. Casos recentes desse tipo de infração, que resultaram em invalidez e mortes das vítimas, ocorreram em Betim (MG), Andradina (SP), São José (região metropolitana de Florianópolis/SC) e Rio de Janeiro, onde foi publicada a Lei nº 8.478/2019, proibindo o uso da linha chilena em todo o Estado.
Na sequência, outro “inimigo” preocupante é a imprudência praticada muitas vezes pelo próprio Motociclista. A pilotagem segura é a regra número 1 que deveria ser praticada por todos, mas manobras radicais, frenagens bruscas e excesso de velocidade só aumentam os riscos de acidentes de trânsito. Como se não bastasse, desponta também a imprudência de vários Motoristas de automóveis, ônibus e caminhões, em claro desrespeito à circulação segura dos veículos de duas rodas.
O consumo de bebidas alcóolicas e drogas, outro “inimigo” indesejável, porém frequente, principalmente nos fins de semana, também contribui para a ocorrência de acidentes, pois reduz os reflexos e a capacidade de reação do Motociclista e do Motorista em trânsito.
O quinto “inimigo”, na avaliação da Abraciclo, é o desrespeito às leis e normas de trânsito, como, por exemplo, “furar” o sinal vermelho dos semáforos. Atitudes deploráveis como esta ainda são comuns no dia a dia das cidades brasileiras e precisam ser evitadas, pois resultam em todo tipo de acidente, inclusive com vítimas fatais.

 

FONTE: R7 - SP
DATA: 25/07/2019

JoomShaper